domingo, 5 de março de 2017

EDIFICAÇÃO

Resultado de imagem para raiz
OBS: As raízes são estruturas, geralmente subterrâneas, que fixam o vegetal no solo e também absorvem água e sais minerais. Na ponta das raízes encontramos uma estrutura rica em células, chamada de coifa. As células da coifa têm a função de proteger aquela parte da raiz. Além disso, produzem uma substância gelatinosa que lubrifica a coifa, facilitando a penetração da raiz no solo.

Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele, Enraizados e edificados nele, e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, nela abundando em ação de graças. (Colossenses 2:6-7-ACF).

O tema edificação é sem sombras de dúvidas a base estrutural da vida espiritual do crente. A salvação é um ato, porém a edificação é um processo com diversas fases, dentro deste contexto, podemos comparar o salvo a uma árvore na qual Cristo é a raiz principal.  Os crentes como raízes secundárias, só estarão firmes se estiverem arraigados nEle, quando estamos em Cristo temos segurança, pois sabemos que da raiz principal é que brota a vida, o alimento, a produtividade, a graça e contentamento. Neste sentido, quando mais enraizado estiver o crente, mais útil será para a obra do Senhor. O corpo de Cristo (a igreja) quando está bem ajustado e ligado com auxílio de todas as juntas cresce para a edificação (Efésios 4:16-ACF).

      “Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo, Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna(Judas 20-21-ACF).

Quanto mais profunda a raiz mais forte será a árvore. Porém nenhuma planta nasce forte, ela precisa ser alimentada, adubada para pode crescer forte e saudável. O crente para crescer espiritualmente deve buscar constantemente a edificação. Nunca devemos nos contentar com o nosso conhecimento atual, mas, sempre procurar melhorar, buscando as coisas que servem para paz e edificação (Romanos 14:19 e 15:2- ACF).  Temos que entender que o nosso corpo é um edifício que serve de morada para o Espírito Santo, sendo Cristo a pedra principal (Efésios 2:20-22- ACF).

Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.


Por ter uma natureza individualista o homem natural, preocupa-se unicamente com o seu bem estar, não atentando em momento algum para os outros. Mas os crentes, que são os únicos que podem fazer qualquer coisa, pois todas as coisas lhes são lícitas, devem atentar para a liberdade que Cristo lhe proporciona (Gálatas 5:1-ACF), sendo necessário em determinados momentos abrir mão de algo, que a os olhos daquele que a pratica não causará mal nenhum, em troca do bem estar e edificação do irmão, tenha sempre em mente que fazemos parte do corpo de Cristo (I Coríntios 12:12 -ACF).  


Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta. (Mateus 5:23-24-ACF).

Para uma perfeita edificação é de crucial importância o amor fraternal entre irmãos (I Pedro 1:22-ACF). Relações mal resolvidas, mágoas e queixas contra um irmão, dificultam o nosso relacionamento com Cristo. Como podemos afirmar que amamos a Deus, o qual não enxergarmos e não amamos ao nosso irmão que contemplamos face a face (I João 4:20-21-ACF). Neste contexto, não importa se a culpa e sua ou do irmão, porém o importante e restaurar o relacionamento. Se recebemos de Deus um perdão imerecido, por que não podemos perdoar o nosso irmão.


Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo. (Efésios 4:32 -ACF)


Nunca devemos acha que somos indestrutíveis, pelo contrário necessitamos estar atentos para não cairmos e magoamos o nosso irmão.

Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia”.
                        (I Coríntios 10:12).


Estudo aplicado no retiro das igrejas batistas bíblicas fundamentalistas.
Fevereiro de 2017.
Walter Costa.




quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

FÉ VIVA.

Imagem relacionada

FÉ VIVA.

Leitura bíblica: Gênesis 22:1-18

Introdução

A fé tem sido ao longo dos tempos a maior riqueza dos filhos de Deus. No estudo de hoje baseado no capítulo 22 de Gênesis, iremos discorrer sobre a fé viva, aquela preciosa que só é alcançada pelos santos (I Pedro 1:1). No capítulo 11 de Hebreus temos o memorial da fé, pela qual os antigos alcançaram o verdadeiro testemunho. Iremos fazer um passeio no capítulo 22 de Gênesis e em vários versículos do novo testamento para aprendermos a fortalecer a nossa fé.

1. O sacrifício da fé. (Gênesis 22-2).  Deus ordena a Abraão oferecer o seu amado filho Isaque em holocausto. Abraão estava pronto para colocar tudo que possuía sobre o altar. Diante desse quadro cabe a seguinte pergunta: será que Deus queria receber Isaque em holocausto ou estava provando a fé de Abraão?  A resposta é obvia, Deus estava testando a fé de Abraão e com certeza irá testar a nossa. O patriarca Abraão saiu do teste aprovado. Agora vamos inverter a pergunta: a nossa fé também será aprovada? Uma fé que não pode ser testada -- não pode ser confiada (I Pedro 1:7). Será que estamos apresentando nosso corpo para o sacrifício vivo a Deus? (Romanos 12:1-2).

2. A obediência da fé. (Gênesis 22-3).  A obediência é talvez a maior prova da fé de um salvo, apesar de estar triste; pensativo e com o coração dolorido Abraão levantou-se de madrugada e foi cumprir a ordem de Deus (Hebreus 11:8). Em toda a Sagrada Escritura termos a ordem de obedecer. Por ordem expressa; comando e conselho daquele Deus que é de eternidade a eternidade, o Santo Evangelho já foi manifestado a todas as nações através da justificação pela justiça de Cristo, termos a remissão dos pecados pelo Seu sangue. Cabe ao pecador remido a obediência da fé. (Romanos 16:26). No que diz respeito a obedecer devemos mais do que nos foi confiado (Filemom 1:21). Nossas almas são purificadas pelo Espírito da obediência (I Pedro 1:22).

3. A esperança da fé, (Gênesis 22-5).  Será que o crente da atualidade teria a confiança que Abraão teve em Deus? Ele sabia que Deus havia prometido que sua descendência seria chamada em Isaque (Gênesis 21:12). Confiante na Palavra do Senhor Abraão levou seu filho para ser sacrificado, crendo que Deus iria ressuscitá-lo (Hebreus 11:18).  Nós devemos ter esta mesma fé, crendo firmemente na promessa de Deus, mesmo naqueles momentos onde tudo parece perdido, nunca podemos perder a esperança, pois quem está em Cristo não pode está confuso (Romanos 5:2-5). Através do Espírito da fé aguardamos a esperança da Justiça (Gálatas 5:5).

4. A perseverança da fé, (Gênesis 22-9).  Abraão permaneceu crendo em Deus, ele perseverou e em momento algum voltou atrás. A fé que falha nos momentos difíceis é considerada incredulidade (Marcos 4:40). O crente bíblico sabe perfeitamente que todas as coisas servem para o nosso bem, mesmo em momentos adversos, quando a esperança tem ido embora devemos permanecer na fé (Romanos 8:28). Perseverar na fé é colocar toda a nossa força em Deus, crer Naquele que nem o seu próprio filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas (Romanos 8:32).

5. A vitória da fé (Gênesis 22-12).   Apesar de Deus não ter permitido a morte de Isaque, a obediência de Abraão foi como se houvera sacrificado o seu filho a Deus. Quando cremos verdadeiramente tudo é possível (Marcos 9:23), desde que essa seja a vontade de Deus (I João 5:14). Lembre-se a graça de Deus nos dá a vitória (I Coríntios 15:57). A fé é um dom de Deus e através dela nos vencemos o mundo (I João 5:4).

Conclusão

Abraão apesar de sofrer com o holocausto do filho não resistiu à vontade de Deus. Devemos ter esse mesmo pensamento entregar nossa vida nas mãos do Senhor. Ter fé é crer na infalível Palavra de Deus, mesmo contra todas as evidências em momentos negativos continuar crendo e repousar sobre a perfeita; sólida e insuperável proteção do Nosso Pai. Quando Deus colocar o Seu Santo Espírito para morar dentro dos seus filhos, esses são tomados por um desejo imenso de fazer a vontade do Pai, de ser obediente, pois somos guiados pelo Espírito (Romanos 8:14).

Estudo aplicado na IBBF Esperança-PB  2015.
Walter Costa

Bibliografia: Bíblia Almeida Fiel e Corrigida- ACF

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

DUAS SITUAÇÕES: O INCRÉDULO E O SALVO.


Resultado de imagem para Romanos 3:23)

DUAS SITUAÇÕES: O INCRÉDULO E O SALVO.


Introdução

Quando o homem nasce na forma corpórea da carne, está destituído da glória de Deus (Romanos 3:23). Diante de tal quadro é certo que a grande maioria padecerá no eterno castigo, pois não conheceram a Deus e muito menos obedeceram ao Evangelho de Cristo (II Tessalonicenses 1:8-9). Existe uma única saída para a redenção eterna do pecador remido: Cristo (Hebreus 9:12). Ou seja, a fé verdadeira em Cristo garante vida eterna (João 3:15). Porém aquele que não crer irá padecer eternamente. São dois os tipos de homens: o incrédulo e o crente, cada um em uma situação.

A SITUAÇÃO DO INCRÉDULO:

A) Perdido e sem esperança. Por não crerem no Deus verdadeiro os incrédulos já estão condenados (João 3:18). Eles estão sem Cristo, sem esperança e sem Deus no mundo (Efésios 2:12).

B) Morto em seus delitos e pecados. O pecador incrédulo está morto em ofensas e pecados, sem o menor remorso e arrependimento das obras da carne (Efésios 2:1). Ele não quer vir a Deus para ter vida (João 5:40).

 C) É um filho do diabo. A Sagrada Escritura fala claramente que o incrédulo é filho do Diabo e que está pronto para satisfazer a vontade do pai (João 8:44). Andando nos desejos da carne e fazendo a vontade dos pensamentos (Efésios 2:3).
D) Permanece sobre ele a ira de Deus. Todo aquele que não crê no Filho terá sobre si a ira de Deus (João 3:36). Os incrédulos receberão o justo castigo e padecerão eterna perdição (II Tessalonicenses 1:9).

E) A sua espera está um juízo severo. É certo que o homem natural está condenado, pois por uma só ofensa veio o juízo, sobre todos os homens para a condenação (Romanos 5:18), outro fato cristalino, é que não teremos uma segunda chance para nos redimir, temos apenas esta vida para crê no Salvador (Hebreus 9:27).

F) O lago de fogo é seu castigo. O incrédulo terá um triste fim, sofrerá o dano da segunda e terrível morte, no grande trono branco, aquele que não estiver com o nome escrito no livro da vida será lançado no lago de fogo (Apocalipse 20:12-15).


A SITUAÇÃO DO CRENTE:

A) Salvo pela graça. O crente é salvo literalmente pelo favor imerecido dado por Deus (Efésios 2:8-9). Não existe a possibilidade do homem ser justificado por mérito próprio e sim pela graça que há em Cristo Jesus, através da fé (Romanos 3:24 e Gálatas 2:16).

B) E um filho e herdeiro de Deus. É essencial o novo nascimento para o salvo se tornar filho é herdeiro de Deus, este fato ocorre pela vontade do nosso amado Pai (João 1:12-13). Através da ação do Espírito Santo temos a certeza de filiação e passamos a condição de coerdeiros de Cristo (Romanos 8:16-17).

C) Recebemos a graça através da fé em Cristo. No momento em que o crente é salvo, ele deixa a situação de inimigo de Deus e passa a ter paz com o Criador, nesta ação o sujeito efetivo é Cristo (Romanos 5:1-2). Jesus iluminar os olhos do entendimento para que os santos entendam a verdadeira esperança (Efésios 1:18).

D) Morto para o pecado. A fé em Cristo como nosso único e todo suficiente Salvador, torna o crente morto para o pecado (Romanos 6:11). Jesus foi entregue para ser crucificado e morrer por nossos pecados (Romanos 4:25 e Gálatas 1:4). Este fato  reconciliou o salvo com Deus (II Coríntios 5:19).

E) Espera pelo Senhor. O salvo não pertence a esse mundo, nossa cidade é outra, estamos apenas passando um tempo a espera do Nosso Salvador, que irá transformar nosso velho corpo em um corpo glorioso (Filipenses 3:20-21). Nossa morada será em lugares celestiais ao lado de Cristo (Efésios 2:6).


CONCLUSÃO

O processo de salvação depende unicamente da ação de Deus, que nos predestina; nos chama; justifica-nos e por último nos glorifica (Romanos 8:29-30). A soberania de Deus, não nos exime das nossas responsabilidades, o pecador quando ouvi a Palavra de Deus, deve recebê-la de bom grato (Atos 2:40-41) e não deve endurecer o coração (Salmos 95:8-11). A Palavra de Deus e capaz de penetrar na parte mais intima do homem: a divisão da alma e do espírito (Hebreus 4:12), portanto, se essa Palavra ainda não penetrou no seu coração, teu fim será terrível, pois quem rejeitar a Cristo não recebe a sua Palavra, a Palavra que Cristo pregou irá julgar você no último dia.

“Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia”. (João 12:48).

Estudo aplicado na IBBF Esperança-PB.
Walter Costa

Referências Bíblicas: Bíblia Almeida Corrigida e Fiel - ACF

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

CULTO DOMÉSTICO E A EDUCAÇÃO ESPIRITUAL DOS FILHOS


Resultado de imagem para eu e a minha casa serviremos ao senhor

CULTO DOMÉSTICO E A EDUCAÇÃO ESPIRITUAL DOS FILHOS

LEITURA BÍBLICA: Salmos 78:1-8

VERSÍCULO TEMA: Josué 24:15-ACF.

Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR

INTRODUÇÃO

A graça de Deus é suficiente para salvar o pecador do castigo eterno (Romanos 3:24 ACF ). Porém existem alguns temas que são externas a graça que devem permear a vida do crente. Entre os quais encontramos o que chamamos de culto doméstico/familiar. É de suma importância que o pai de família que por divina e inalterável instituição é o cabeça do lar, tenha cauterizado em sua mente a sua intransferível responsabilidade perante os demais membros da família (Josué 24:15-ACF). Temos como exemplo bíblico o patriarca Abraão, reconhecido por Deus por ordenar a sua casa a guardar o caminho do Senhor (Gênesis 18:19 ACF ). Além disso, encontramos uma determinação clara de Deus para os pais ensinarem aos filhos em Deuteronômio 6:6-7-ACF.

O CUIDAR DOS FILHOS


Sabemos que os filhos não são salvos de forma indireta, através do parentesco, porém temos a obrigação de educarmos os nossos filhos no caminho do Senhor (Provérbios 22:6-ACF). Com este conceito em mente o líder do lar deve incentivar e praticar com frequência a leitura, o estudo e a adoração a Deus. Devemos usar os meios designados por Deus para alcançarmos os nossos filhos, ensinando de forma responsável e rotineira os princípios básicos da adoração ao Senhor. Quando a criança é ensinada desde tenra idade na Sagrada Escritura, isso poderá torna-la sábia para a salvação (II Timóteo 3:15-ACF). Os pais crentes recebem uma responsabilidade maior do que os descrentes, somos exortados a ensinarmos as veredas antigas aos nossos filhos, nestas veredas a família encontra o bom caminho e descanso (Jeremias 6:16-ACF).


A OBRIGAÇÃO DOS PAIS DE ENSINAREM AOS FILHOS

Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel. ( I Timóteo 5:8-ACF).

A prefeita palavra de Deus que é viva, eficaz e mais penetrante do uma espada de dois gumes (Hebreus 4:12-13-ACF), mostra claramente a responsabilidade do pai para com a sua família, o cuidar citado no versículo 8 do capítulo 5 de I Timóteo, diz respeito ao lado espiritual, pois as nossas necessidades transitórias são supridas pela misericórdia divina (Mateus 6:31-32-ACF).  Em Seu maravilhoso projeto Deus arquitetou que o pai de família, fosse o exemplo a ser seguido pelos demais membros do grupo familiar, principalmente os filhos em seu processo inicial de aprendizado (Provérbios 22:6-ACF).  Quando a Sagrada Escritura exorta os filhos para guardarem o mandamento do pai e para não deixar a lei da sua mãe, isto implica dizer que nós somos responsáveis por esta aprendizagem inicial (Provérbio 6:21-22- ACF). Quando os pais conseguem com sucesso educar os filhos no caminho do Senhor, eles entenderão com clareza a proteção que recebem do Deus Altíssimo (Provérbio 6:23- ACF).


O CULTO FAMILIAR EM HONRA A DEUS

Em tempos onde mundo invade o lar cristão com força através da modernidade tecnológica de uma forma geral (internet, celular, tv entre outros), a busca por melhores condições financeira, a capacitação profissional quase que infindável. Esta invasão tem afastado sobremaneira a comunhão da família com Deus. Diante de tal constatação, fica claro que o culto familiar é sem sombra de dúvidas a melhor de todas as receitas para se aproximar e honrar ao Criador (I Samuel 2:30- ACF2007). Lembre-se que todo o conforto doméstico e as misericórdias temporais emanam unicamente da benignidade do Senhor, e justamente por isso, o pai de família (em sua ausência a esposa) deve ensinar aos filhos que a palavra de Deus é mais importante do que as coisas temporais (Mateus 4:4-ACF).

CONCLUSÃO

Adorar verdadeiramente exige compromisso da família e evidência que estamos crescendo espiritualmente, ou seja, nosso lar é o primeiro degrau de aprendizado, os membros da família devem saber que adorar ao Senhor não é opcional e sim uma obrigação, afinal toda a boa dádiva e tom perfeito vêm do alto (Tiago 1:17-ACF) e nada recebemos se não for nos dado do céu (João 3:27-ACF).

Dicas:

Faça cultos com frequência.

Escolha o melhor horário. (à noite se todos estiverem em casa)

Todos devem participar.

Leia um capítulo da bíblia ou parte dele.

Faça pequenos comentários sobre o tema lido.

Peça para que todos orem

Cante um louvor.

 “A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração. (Colossenses 3:16 -ACF).


Esperança-PB, Fevereiro de 2016.
 Walter Costa
Referências Bíblicas: Bíblia Almeida Corrigida e Fiel - ACF


quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

ESTÁS PREPARADO PARA O TRIBUNAL?

Resultado de imagem para O TRIBUNAL de Cristo

ESTÁS PREPARADO PARA O TRIBUNAL?


Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal. ( II Coríntios 5:10)

Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo. (Romanos 14:10).

INTRODUÇÃO

Sabemos que os filhos de Deus não serão em hipótese alguma condenados (Romanos 8:1), porém este fato não implica que não passaremos por um tribunal no qual será feito a prestação de contas dos nossos atos (Hebreus 9:27). Neste juízo, pelo qual apenas os salvos passarão, o crente prestará contas ao Senhor que recompensará (galardão) aqueles que foram mais fieis, firmes e constantes na utilização dos dons e talentos dados a cada um. (Hebreus 6:10). Dentro desde contexto iremos analisar alguns fatos importantes relacionados a tão esperando julgamento.

O JULGAMENTO (I Coríntios 3:11-15).

Como vimos todos os salvos, aqueles que depositaram sua salvação unicamente na obra de Cristo, vão comparecer diante do Tribunal de Cristo e poderão ter as suas obras queimadas no fogo. Notem que a pessoa NÃO será QUEIMADA. Suas obras é que SERÃO. O fogo irá provar a obra de cada um, conforme a qualidade, intensidade (ide de Cristo) e principalmente a forma que o crente realiza a obra do Senhor, se por amor intenso ao salvador ou se por vanglória de homens, os diferentes materiais aplicados por um mesmo homem, sobre a base que é Cristo irão definir se o mesmo será galardoado ou não.  Nossas obras não servem para a salvação, porém nos dará (ou não) galardões e coroas.  
 E iraram-se as nações, e veio a tua ira, e o tempo dos mortos, para que sejam julgados, e o tempo de dares o galardão aos profetas, teus servos, e aos santos, e aos que temem o teu nome, a pequenos e a grandes, e o tempo de destruíres os que destroem a terra. (Apocalipse 11:18)

IREMOS PRESTAR CONTAS SOBRE:

Nosso tempo. A ordem é viver prudentemente, como um homem sábio, remindo o tempo (Efésios 5:15-16). Quando dedicamos a nossa vida a obra de Deus, andamos dignamente, agradamos a Deus, frutificamos e crescemos em Seu conhecimento. (Colossenses 1:10)

Nossos dons e capacidades. (I Coríntios 12:11). A Sagrada Escritura nos ensina que o Espírito Santo e quem opera nos salvos os diversos dons e capacidades e que os reparte conforme a sua vontade Fato este, que não tira a responsabilidade do crente em desenvolver com amor e dedicação os dons a nós entregues, o salvo tem o compromisso de ser um bom despenseiro do Senhor, distribuindo com zelo e empenho as responsabilidades que o Espírito Santo repartiu conosco. Lembrando que tudo é feito para que Deus seja glorificado. (I Pedro 4:10-11).

Os talentos a nós confiados. (Mateus 25:19). Há um ditado popular que diz: “não deixe para amanhã ou que pode ser feito hoje”, não sabemos o dia e hora que o Nosso Senhor irá voltar e nos tomar conta dos talentos que Ele nos confiou. Ou seja, nunca devemos espera para usar as aptidões que Deus nos deu, alguns acreditam que não possuem talentos, porém Aquele que irá nos julgar vai observar a nossa prontidão de vontade e só irá cobrar o que nos foi entregue. (II Coríntios 8:12). Existem milhares e milhares de pessoa que precisam ouvir o Evangelho e os crentes são os responsáveis por propaga as insondáveis riquezas de Cristo, somos exortados a nunca falta zelo e fervor no espírito no servir ao Senhor (Romanos 12:11).
Nossas negligências. (Tiago4:17).  Toda situação é uma oportunidade de fazemos o bem. Não existe maior bem no mundo do que falar da salvação eterna, do amor de Deus, da Sua graça e misericórdia aos perdidos, quando deixamos essa oportunidade passar estamos sendo negligentes. A falta de aplicação na realização das tarefas, a desatenção e o descuido interrompem a nossa comunhão com Deus. Isso nos faz negligenciar os conselhos do Senhor (Provérbios - 1:25 e Hebreus 5:11)


 CONCLUSÃO

Após passar pelo Tribunal de Cristo, o crente fiel irá receber coroas incorruptíveis (I Coríntios 9:25). Estas coroas ao contrário da nossa salvação, poderemos perdê-las. (Apocalipse 3:11) Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa”.  Convém-nos lembrar de que o nosso objetivo não é ser galardoado e que não merecemos nenhuma recompensa (Romanos 4:4). O verdadeiro crente é constrangido pelo amor de Cristo a está sempre pronto para a batalha (II Coríntios 5:14).  Somos galardoados por que Deus em Sua imensa graça e o seu interminável amor, decidiu recompensar os filhos que exerceram com zelo os dons a eles confiados (I Coríntios 12:31). Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho mais excelente. Apenas como referência sem adentramos com maior profundidade listamos as diversas coroas que os salvos irão receber.


A coroa da vida (Tiago 1: 12 e Apocalipse 2: 10)

A coroa incorruptível (I Co. 9: 25-27; II Co. 5: 10)

A coroa de alegria (I Tessalonicenses 2:19-20)

A coroa da justiça (II Timóteo 4: 8)

A coroa de glória (I Pedro 5: 1-4)
          
Estudo aplicado na IBBF Soledade.

Walter Costa

Bibliografia: Bíblia Almeida Fiel e Corrigida- ACF